Como o incenso chegou até nós?

Qua, 24 de Fev, 2016

O composto de ervas aromáticas não só deixa o ambiente com um cheiro agradável mas, também possui forte ação terapêutica, energética e espiritual. Conheça a história do incenso e confira as novidades que acabaram de chegar ao site do TerraMystica 

Quem criou o incenso?

Bom, para descobrirmos a origem do incenso precisamos adentrar ao tempo, e se desvincular de datas, pois o surgimento da prática de queimar ervas aromáticas são tão antigas que remetem a épocas imemoriais.

Alguns estudos relatam que o homem ao fazer suas fogueiras percebiam que a fumaça subia tão alto que alcançava o céu. Com esta percepção começaram a queimar plantas aromáticas a fim de que o cheiro agradável pudesse chegar a casa dos Deuses, que acreditavam eles, ser nas alturas.

Mas, como foi descoberto que queimar determinadas plantas produzia aromas?

Acredita-se que antes mesmo da descoberta do fogo pelo homem, incêndios espontâneos propiciaram a descoberta do que seria a primeira evidência do incenso. Quando esses incêndios ocorriam, algumas espécies de árvores afetadas exalavam um cheiro muito agradável. A partir disso o homem começou a associar a queima de certas plantas e madeiras ao perfume que traduzindo para o latim significa através do fumo (per= através, fumus= fumo).

incenso

A afeição pelo uso do incenso perpassa o gosto pelo aroma exalado em sua queima, e começa trazer valores simbólicos. Acreditava-se que a pessoa que espalhasse a resina das ervas aromáticas sobre o carvão estava afastando os males advindos de influências negativas, do ambiente. Aliado a isso também considerava-se a sensação de purificação e limpeza que algumas ervas traziam.

O uso do incenso ficou cada vez mais forte, porém, o costume de incinerar plantas e madeiras sempre foi algo de grande valor, tratado com muito respeito por diversas culturas. Tendo assim, momentos, datas e divindades certas para se oferta-lo.

Uso do incenso na Umbanda

Foi dos egípcios a primeira evidência de registro da fabricação e manuseio de incenso. Através de seus registros grafados em papiro concedem o desvelar dessa ciência para as populações que os precederam. E foi assim que ele chegou até o nosso conhecimento.

O incenso não escolhe religião a qual se agregar, esta presente em diversas manifestações, convertendo-se até em sinônimo de oração. Na Umbanda não é diferente, tem como objetivo afastar maus pensamentos, miasmas e energias negativas.

PaloSanto2

Incenso de Palo Santo. O Palo Santo é uma “Madeira Sagrada” usada pelos Curandeiros e Xamãs em vários países da América Latina

Seu uso esta relacionado a erva de poder do Orixá ou divindade que pretende-se trabalhar. Por exemplo, a Oxum normalmente assimila-se o uso da erva cidreira, camomila e calêndula. Esta mesma conexão pode ser feita com os aromas, utilizando um incenso que corresponda a erva de poder do Orixá em que vai ser ofertado. Mas, isso pode variar de tradição para tradição.

Em geral, o incenso purifica e promove limpeza e bem estar a ambientes e pessoas.

Conheça os novos incensos que acabaram de chegar no www.terramystica.com.brAnanda floraSafal e Sandal Flora são algumas das novidades cheirosas que o Terra trouxe pra você!

Por: Júlia Pereira

Foto: Arquivo Terra Mystica

Terra_Mystica_PNG
Socorro, não consigo comprar!  Não se desespere, entre em contato pelo:

e-mail: atendimento@terramystica.com.br

ou

Tel: 3010-0522

Horário de funcionamento:

08h30 às 11h30 (pausa para o almoço) 13hs às 18hs

Atenção: todos os links desse site estão sujeitos a indisponibilidade 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: