DICA MYSTICA #8: DEFUMAÇÃO DE ÁGUA E FOGO

 

Abalone é uma concha de grande beleza, encontrada em rochas costeiras em grandes profundidades oceânicas. Esta concha tão especial era tradicionalmente era utilizada pelos povos indígenas em especial os povos nativo americanos para  a queima de ervas sagradas em rituais místicos de água e fogo, limpeza, oferendas e orações. Ela incorpora de uma forma única, todos os aspectos do elemento água, sendo também útil para rituais para acalmar mente/corpo e situações emocionais.

Na Umbanda, a concha Abalone é utilizada em rituais de Fogo e Água representando o elemento aquático, em junção com o elemento Terra (representado pelas ervas) e os elementos fogo e ar (transmutação em fumaça – defumação). A erva, utilzada neste caso é a Alfazema, principal erva de defumação na força de Iemanjá, marinheiros e Povo D’Água.

Salve a defumação!

Salve o Povo D’Água

Odoyá Iemanjá!

NOTA:

Anúncios

LINHA E ARQUÉTIPO DOS MARINHEIROS

– Odoyá Yabá! Salve Rainha do Mar! Salve Yemanjá.

Assim que diariamente eu me colocava de frente pro mar, quer seja a beira-mar ou sobre um navio. De fato fui um homem do mar, pertenci ao agrupamento naval brasileiro e sendo um militar em tempos de defesa no mar desencarnei, atingido por um canhão inimigo, naufragamos em alto mar.
Interessante foi que já no lado espiritual da vida continuei “submerso”, pois é, ainda no fundo do mar, estranhamente podia respirar e a movimentação nesta realidade era estranha, me encontrava na realidade aquática da vida.
Muitos como eu lá estavam, era uma cidade!
Após o processo de ser recebido, esclarecido e alocado naquela região, fui sendo preparado para não só mais louvar a Mãe D’Água, mas sim colaborar com sua atuação junto aos encarnados. E porque no fundo do mar?
Fui orientado que eu trazia na minha ancestralidade a presença desta Mãe e como na última encarnação também fui um homem do mar que aprendeu a lidar com os reveses da vida e que no contexto geral me encontrava numa faixa evolutiva propicia a ser um trabalhado da luz, poderia eu colaborar no auxílio ao próximo.
Fui aprendendo a lidar com os seres aquáticos, elementais da água também conhecido na Umbanda como Povo D’Água. Conheci as “magias” e “mistérios” do mar e como usar isso em favor da humanidade.
Faço esta introdução sobre minha história, pois no geral com a maioria dos Marinheiros é assim que ocorre.
A Linha de Trabalho Marinheiros foi aberta para acolher aqueles que viveram no litoral ou em contato com a água, entram nesta classe os marinheiros propriamente, os ribeirinhos, canoeiros etc. Todo aquele que viveu e cultuou a água.
Na prática trazemos uma forte vibração da energia aquática que em contato com as forças nocivas dilui e purifica pessoas e ambientes. Gostamos de prosear e trocando experiências orientamos os aflitos.
Vivemos “no fundo do mar”, uma dimensão aquática, por isso quando manifestados em solo seco ficamos a bambear, pois pra nós terra firme nos tonteia e a água nos deixa firme. Entenda isso como metáfora ou lenda, mas não jogue em nossas costas a sua bebedeira ao alegar que tonteamos porque somos bêbados. Acaso isso é lícito na evolução espiritual???
Quando usamos o Rum ou Cachaça é para utilizar sua energia para variadas funções e jamais para suprir vício algum. Reflita sobre isso.
Muito poderia ser dito sobre nós, porém vou ficando por aqui, tem um navio lá fora apitando, já chegou a hora e já vou embora.
Que o véu da Mãe D’Água lhe cubra de luz e proteção, recebendo-te no seu colo amoroso, assim você se reconforta e se purifica.
Que Ela acolha sempre a Umbanda nos seus braços, porque assim estaremos seguros!
Fiquem em paz!

Nota do Médium: Salve os Marinheiros, Maré!
É sempre uma alegria a presença dos Marinheiro no terreiro, tem regiões que esta linha é mais presente e não por acaso nas regiões litorâneas e menos freqüente nos interiores ou sertões. Sobretudo ao estarem presentes trazem alegria e energia boa.
Vale ressaltar sobre a maneira “tonta” de andar que o médium comprova ao estar incorporado que a sensação é de como estar na proa de um navio, os pés ficam pesados e o chão se movimenta, impressionante!
Nesta Linha se apresenta alguns piratas também, que não é Exu como queiram alguns, porém trazem uma vibração mais densa e se ligam a desfazer trabalhos pesados que ativaram o mistério negativo aquático. Aproveito e deixo meu salve ao Sr. Zé Anzol um pirata que certa vez conheci num terreiro amigo.

Maré meu Marujo!

Fonte: este texto faz parte da apostila que compõe o material de estudos do curso Arquétipos da Umbanda, desenvolvido e ministrado por Rodrigo Queiroz.

Prefácio livro: OS ELEMENTAIS

CAPA DE LIVRO2

Prefácio da tradutora: Karin Thies Vieira Romero

Muito nos falta acerca do conhecimento de nós mesmos e do mundo que nos rodeia. Se fizermos uma análise sincera, perceberemos que pouco nos conhecemos, pouco sabemos de nossas reações e que nos sucedem coisas sobre as quais não temos controle. Também pelo mundo afora ocorrem movimentos, tanto  de natureza física quanto social, escassamente explicados pela ciência e pelo raciocínio lógico.

Neste precioso pequeno trabalho, Dr. Franz Hartmann logra lançar luzes ao tema, apresentando-nos uma ampla visão acerca dos elementais em suas distintas manifestações, quer seja como seres malévolos, aspectos densos existentes tanto em nosso interior quanto vagando no mundo exterior, quer seja, ainda, como diligentes e zelosas, porém por vezes perigosas, inteligências da Natureza, mais conhecidas como gnomos, silos, salamandras e ondinas.

Franz Hartmann (1838 – 1912) foi um médico de visão abrangente. Sua sensibilidade fê-lo perceber como a medicina moderna tem-se tornado progressivamente superficial e pouco eficiente, perdida em minúcias e aspectos secundários, sem conseguir detectar as causas mais profundas dos males humanos. Graças a sua dedicação e entusiasmo, pôde adquirir um grande conhecimento sobre o ocultismo. Não um conhecimento teórico, mas essencialmente prático, pois Hartmann foi, antes de tudo, um incansável investigador. Fez longas viagens,  viveu em vários países e teve a oportunidade de investigar inúmeros fenômenos. Entre 1865 e 1883 viveu no Continente Americano (Estados Unidos, México e Chile), onde chegou como médico de bordo em um navio. Obteve a cidadania norte-americana e, além de atuar na medicina, estudou as crenças religiosas de várias tribos indígenas, travando também contato com o então emergente espiritismo. Investigou a fundo os fenômenos espíritas durante cerca de quinze anos. O próprio Dr. Franz Hartmann escreve que dificilmente seria possível encontrar alguém na América ou na Europa detendo mais experiência que ele mesmo na observação de fenômenos espíritas. Assim, com toda propriedade, pôde chegar à conclusão de que tais fenômenos possuem uma origem completamente distinta da que usualmente lhes é atribuída. Em 1882, este destacado médico, nascido e formado academicamente na Bavária, juntou-se à Sociedade Teosófica. Viveu também na Índia, mantendo um estreito contato com ocultistas, iogue e adeptos.

Assim, pois, de posse de uma vasta experiência investigativa, Franz Hartmann deixa claro num dos pontos mais marcantes do presente trabalho, qual a diferença entre os “espíritos”, levados em tão alta conta pelos médiuns e espíritas de modo geral, e o autêntico Espírito de cada homem, que vive em esferas superiores e está tenuemente conectado à essência de cada um, alimentando-a e buscando despertar-lhe anelos espirituais.

Mas deixemos Franz Hartmann falar por si. Aquele que percorrer as páginas deste pequeno livro certamente encontrará a clareza e a profundidade advindas da experiência própria, quesito tão imprescindível quanto inestimável para todo aquele que queira tratar seriamente de assuntos de caráter transcendente.

Fonte: Livro OS ELEMENTAIS,  de Dr Franz Hartmann, Editora Ícone. Tradução de Karin Thies Vieira Romero. Você encontra esse livro na Terra Mystica, CLICANDO AQUI.

DICA MYSTICA #7: SAL GROSSO

O sal grosso tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta.  É considerado um potente purificador de ambientes para inúmeros povos e religiões, sobretudo contra energias negativas e “mau-olhado”.  O sal é um cristal, e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas, que notaram que ele possui o mesmo comprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos.

Em uso ritualístico, o sal é capaz de bloquear qualquer acúmulo de energia negativa causadas por inveja, demanda e obsessores que se alojam em ambientes com trânsito intenso de pessoas, como no local de trabalho e na sala de visitas dentro de nossas casas.

Vale lembrar que o sal grosso não descarrega as energias positivas; simplesmente transmuta as negativas e proporciona equilíbrio de energias. Portanto, deve ser usado até mesmo como um antecessor dos banhos atrativos e de imantação, já que possui propriedades que desbloqueiam o corpo e a aura para receberem energias benéficas através de outros elementos energizantes como os das ervas.

A prática simples de purificação com água e sal deve ser feita quando sentirmos que o ambiente está “carregado”, seja em função da nossa própria energia (após um dia difícil), seja depois de brigas ou até mesmo devido ao fato de ter recebido visitas não muito desejáveis.

Em todo o mundo, os diferentes povos foram desenvolvendo técnicas de uso do sal como, por exemplo, no Japão. Lá, o sal é considerado poderoso purificador, sendo que os mais antigos o jogam todos os dias na soleira das portas e sempre que uma visita mal vinda vai embora. É também símbolo de lealdade na prática do Sumô. Os lutadores jogam sal no ringue para que a luta transcorra com lealdade.

Sugestão para banho de sal grosso

Não são aconselháveis banhos frequentes com o sal. Dê preferência para os períodos de Lua Cheia.  Com mais ou menos 200 gramas de sal grosso é possível preparar um poderoso banho de descarrego. Basta diluir esta quantidade de sal em 2 litros de água e banhar-se do pescoço aos pés, logo após o seu banho normal.

Para os ambientes, o ideal é que se mantenha um recipiente de vidro com sal grosso, que pode ser ornamentado com arranjos coloridos e assim se tornar uma proteção discreta e decorativa.

Outros benefícios:

– Estimula a circulação natural para a melhoria da saúde

– Relaxa a tensão, dores musculares e nas articulações

– Ajuda a aliviar artrite e reumatismo

– Alivia comichão, ardor e picadas

– Incentiva a pele se renovar.

– Alivia o cansaço, os pés doloridos e os músculos da perna

– Ajuda a aliviar o estresse e tensão

 

 

Fonte: Umbanda Eu Curto.

VOCÊ SABE O QUE É MACUMBA? VOCÊ SABE O QUE É EXU?

Capa livro

Apresentação do livro

Prezado leitor!

Macumba e Exu são dois dos mais polêmicos temas dos cultos afro-brasileiros em função do desconhecimento e do preconceito da população.

Pretendemos nesta obra elucidar, sob a nossa ótima, esses temas com serenidade, honestidade, sem proselitismo e sem mistério.

Mostraremos também como a Umbanda se consolidou ritualisticamente a partir das macumbas cariocas.

Para um entendimento melhor dos temas aqui tratados, faremos algumas considerações sobre a origem dos negros africanos aportados no Brasil, história da Umbanda, os cultos da Cabula e Catimbó.

Quando surgiu a macumba no Rio de Janeiro, no final do século XIX, já ocorria um grande preconceito, pois em muitos terreiros já se praticava a Magia Negra. Cumino (em seu artigo: “Umbandista sim, macumbeiro também”) explica que a carga pejorativa ocorre no momento em que a palavra “macumba” passou a ser utilizada como sinônimo de Magia Negra, que em nada define a prática de uma raça e, sim, a intenção de fazer o mal por meio de ritual, seja lá qual for.

É comum ouvirmos algumas pessoas dizerem que vão a uma macumba quando, na verdade, estão indo a um Terreiro de Umbanda. Malandrino (em seu artigo: “Macumba e Umbanda: aproximações”) diz que a Macumba é muito mais do que apenas uma qualificação preconceituosa, como poderemos ver mais adiante.

Muita gente na Umbanda desconhece o verdadeiro trabalho dos Exus, confundindo os Guardiões da Lei com seres de baixo nível, que se passam por Exus em alguns terreiros, e qe na verdade são aqueles conhecidos como kiumbas.

Mostraremos os conceitos de alguns autores e os nossos para que o leitor possa se localizar na verdadeira essência de Exu e também para que possa ver as divergências e convergências dos conceitos.

Que a palavra de Exu possa ecoar nos quatro cantos da encruzilhada.

Para melhor ilustrar a obra, apresentamos algumas imagens históricas da Macumba: um terreiro, um tambor e a capa de um disco Há também uma curiosa imagem de um trabalho de desopressão na Tenda Nossa Senhora da Piedade realizada em uma mesa “kardecista”. Algumas imagens sobre a temática de Exu são também apresentadas.

Desejo uma boa leitura a todos!

Não importa meu nome: Diamantino de Ogum, Hanamatan, Ifasoya, Matambi

Eu sou o que sou!

Fonte: Livro: Você sabe o que é Macumba? Você sabe o que é Exu?, de Diamantino Fernandes Trindade (Matambi), Ícone Editora.

DICA MYSTICA #6: ARRUDA

Talvez a mais clássica das ervas ritualísticas. É incontável o número de receitas com arruda que encontramos nas histórias das religiões naturais, principalmente as de matriz africanas como a Umbanda e os Candomblés. Devemos tomar cuidado pois se trata de uma erva bastante tóxica.

É importante dizer que popularmente conhecidos como “macho e fêmea”, não há comprovação que exista diferença energética entre uma e outra. O fato de ter folhas maiores ou menores pode ser consequência do plantio, quantidade de luz e qualidade e acidez da terra, bem como adubação e rega. Use a arruda que tiver à mão, sem se preocupar com o gênero, pois todas desempenham a mesma função. É comum vermos pessoas com dificuldades em plantar arruda. a Arruda é uma erva que precisa de desafios. Não gosta de agrado desnecessário, portanto plante-a em locais ensolarados, bem drenados, mais para seco, com solo pobre mesmo, e deixe claro para que ela cresça se quiser, senão você plantará outra erva no lugar. Com certeza ela irá crescer e mostrar o seu poder.

– NOME CIENTÍFICO: Ruta Graveolens L.

– SINÔNIMOS POPULARES: arruda-de-jardim, arruda-macho, arruda-fêmea, ruta, erva-arruda;

– INDICAÇÕES RITUALÍSTICAS: alto poder de limpeza em banhos, defumações ou galhos para o benzimento. Pode ser usada fresca ou seca. Sua aura é vermelha e ela carrega em si o poder purificador e consumidor;

– AÇÃO (VERBOS): consumir, purificar, calcinar, abrasar, aquecer;

– COR ENERGÉTICA: laranja escuro ao vermelho intenso

– ORIXÁS PRINCIPAIS: Egunitá e Xangô.

Você encontra arruda para banhos de defumações do Erveiro Adriano Camargo na loja Terra Mystica, CLICANDO AQUI, e também Incensos Terapêuticos de Arruda, CLICANDO AQUI.

Fonte: Livro Rituais com Ervas, de Adriano Camargo, Editora Livre Expressão, 2015.

O QUE É FIRMEZA?

Por Rubens Saraceni

A FIRMEZA de uma força ou de um poder na Umbanda pode ser feita ao redor de um assentamento ou independente dele. Firmar um Guia espiritual ou um Orixá significa proporcionar-lhe condições mínimas par que tenha um ponto fixo onde receba os pedidos de auxílio, de oferendas, etc.

A firmeza assemelha-se a um assentamento, mas tem menos recursos ou poderes de realização, pois é uma simplificação dele e destina-se a facilitar a atuação das entidades. Já um assentamento cria um vórtice e um campo eletromagnético que interagem com outras dimensões da vida de forma permanente, sendo em si um “ponto de força”localizado nas dependências do Terreiro.

Enquanto isso, uma firmeza cria um ponto de sustentação para as ações da entidade firmada, dando-lhe um pouco mais de segurança para que possa resistir às reações das suas atuações em benefício das pessoas necessitadas do seu auxílio. Uma firmeza pode ser iluminada periodicamente e pode ser realimentada de vez em quando.

Um assentamento deve ter um dia definido na semana para ser iluminado e realimentando; já uma firmeza deve ser iluminada e realimentada sempre que seu zelador fizer um novo pedido de auxílio à entidade firmada. Assentamento e firmeza são similares e a segunda é uma simplificação do primeiro, mas tem as mesmas funções que é protegerem, sustentarem e ampararem algo ou alguém.

Texto extraído do livro “Rituais Umbandistas – Oferendas, Firmezas e Assentamentos” de Rubens Saraceni, Editora Madras, que você encontra aqui na Terra Mystica. Clicando AQUI

DICA MYSTICA #5: 6 BANHOS PARA “ZERAR” ENERGIAS

Você já teve a sensação de que está carregando o mundo nos ombros? Alguma vez se interrogou por que, por mais que deseje algo, o seu sonho não se realiza? Ou sentiu que uma situação parece amarrada de uma tal forma que é impossível desatar o nó?

Se sim, pode ser que esteja precisando de um bom banho. As plantas possuem princípios ativos terapêuticos que há milênios são utilizados em rituais religiosos e de cura, aliviando energeticamente o sofrimento.

Manjericão, arruda, alecrim e muitas outras ervas, quando em contato com a pele, liberam vibrações energizantes, calmantes e até afrodisíacas. O sal grosso, por sua vez, é capaz de atrair para si a baixa energia, descarregando a pessoa de forma a ‘zerar’ sua vibração, deixando-a pronta para os passos seguintespermitindo que o nosso campo energético fique em plena forma.

“Quando isso acontece, a frequência do nosso campo mental entra mais facilmente em contato com a vibração daquilo que queremos atrair”, explica a terapeuta holística Monica Dubeux, que, junto com fitoterapeuta e naturopata Deuse Mantovani, cedeu suas receitas favoritas de banhos para reportagem publicada no site Casa.com, do Grupo Abril.

As misturas devem ser usadas após o banho normal de higienização e, após derramadas, recomenda-se apenas se enxugar, “para que a ação desses elementos perdure e chegue ao nível mais sutil de limpeza”, disseram.

Confira os banhos abaixo:

Banho para estimular a Saúde

Ingredientes

• 1 punhado de lavanda

• 1 punhado de camomila

• 1 punhado de manjericão roxo

• 10 pétalas de rosa branca

• 1 punhado de alecrim

Como fazer

Ferva os ingredientes em 1 litro de água mineral. Espere até que a mistura volte à temperatura ambiente e coe. Após o banho, derrame- a sobre seu corpo enquanto mentaliza seu desejo de ter mais disposição.

————————————————————————

Banho para estimular a Prosperidade

Ingredientes

• 10 pétalas de rosa amarela

• 7 folhas de louro

• 1 pitada de canela em pó

• 1 colher de chá de mel puro

Como fazer

Ferva os ingredientes em 1 litro de água mineral. Espere até que o líquido volte à temperatura ambiente e coe. Após o banho, derrame essa mistura sobre seu corpo. Concentre-se na bem-aventurança.

————————————————————————

Banho para descarrego energético I

Ingredientes

• 3 punhados de sal grosso

• 1 maço de manjericão

Como fazer

Ferva 1 litro de água. Numa vasilha, macere, com as mãos, o manjericão. Jogue a água no recipiente com a erva. Espere esfriar. Use outra panela para misturar 3 punhados de sal grosso em 1 litro de água. Após o banho, despeje sobre o corpo a mistura com sal. Em seguida, a do manjericão. O sal retira todas as energias (positivas e negativas), por isso o segundo banho é necessário. Mentalize para que tudo de ruim vá embora.

 

————————————————————————

Banho para descarrego energético II

Ingredientes

• 3 punhados de sal grosso

• 3 folhas de guiné

• 1 maço de catinga-de-mulata

• 1 maço de hortelã

Como fazer

Ferva os ingredientes em 1 litro de água. Espere até que a mistura volte à temperatura ambiente e coe. Derrame a mistura sobre o corpo após o banho. Mentalize que toda energia negativa está deixando o seu ser.

————————————————————————

Banho para Proteção

Ingredientes

• 1 pequeno ramo de arruda

• 1 maço de guiné

• 1 espada-de-são-jorge cortada em sete pedaços

Como fazer

Numa vasilha, pique com as mãos todas as plantas. Depois, despeje sobre elas 1 litro de água fervida. Abafe o conteúdo com uma tampa e espere esfriar. Após o banho, despeje essa mistura sobre o corpo. Peça ao arcanjo São Miguel ou ao seu mestre protetor favorito todo amparo de que precisa.

————————————————————————

Banho para estimular o Amor

Ingredientes

• 1 fava de baunilha

• 3 gotas de essência de rosa

• 7 cravos

• 3 paus de canela

• 3 colheres de sopa de açúcar mascavo

• 1 maçã cortada em quatro

Como fazer

Ferva os ingredientes em 1 litro de água mineral. Espere até que a mistura volte à temperatura ambiente e coe. Derrame-a sobre o corpo após o banho. Dirija o seu pensamento para o amor que deseja, pedindo que ele lhe traga tudo o que você almeja, como paz, alegria, respeito e muito amor.

Fonte: Umbanda Eu curto / Foto: Feminina Revista

DICA MYSTICA #4 – Livro Preto Velho Mago

Preto velho capa

Preto-Velho Mago – Conduzindo uma Jornada Evolutiva é um romance umbandista, mas também de Magia Divina. Trata-se de uma história real, que mostra o sofrimento de um espírito negativado, a partir da queda às trevas da ignorância humana, provocada pela sua negati­vação consciencial, ocorrida em algumas encarnações anteriores àquele período, por meio da vaidade, da ganância, da arrogância, do ódio e, por consequência, do uso de recursos magísticos para a realização de seus desejos mesquinhos.

Por intermédio deste relato, o Senhor Mestre Mago da Luz, Preto-Velho Pai Cipriano do Cruzeiro das Almas, pretende mostrar não somente aos umbandistas, mas também a todos aqueles que creem em Deus e na Lei do Retorno, que nós, os espíritos humanos encarnados, podemos simplificar nossas caminhadas.

O sábio mostra que isso é possível, ao fazermos do planeta em que vivemos um lugar mais “habitável”, olhando para suas nuances e sua beleza, que estão à nossa frente, mas nem sempre conseguimos enxergar.

Autor:

Gaúcho de Porto Alegre, André Cozta, desde muito cedo, acostumou-se com os rituais de Umbanda Sagrada realizados pelo seu pai, no terreiro que se situava aos fundos da casa onde residia com a família. Define-se, portanto, como umbandista de pai, mãe e avós, pois seu pai foi “feito” no terreiro de seu avô materno, a Casa de Umbanda Pai Thomé. Ao longo da vida, acostumou-se com as lidas dessa religião, prati­cando-a e nutrindo um amor a cada dia maior por essa doutrina, pelos Sagrados Orixás e Guias espirituais manifestadores das qualidades Divi­nas dessas divindades.

Residindo na cidade do Rio de Ja­neiro desde 2001, em dado momen­to, entregou-se de vez à sua missão, na prática religiosa, na Magia Divina (é mago iniciador da Magia das Sete Chamas Sagradas, trazida ao plano material pelo mestre mago Rubens Saraceni) e psicografando mensagens e obras que são enviadas por seus Mestres e Guias espirituais.

Hoje, atuante como médium de Umbanda Sagrada, mago servidor de Deus e escritor, usa da sua mis­são para mostrar, a quantos irmãos em Oxalá lhe for possível, o quão pode ser simples e doce trilhar os “Caminhos da Evolução”.

André Cozta também cursou Teo­logia de Umbanda Sagrada pela plataforma EAD (Educação a Dis­tância) do Instituto Cultural Aruanda, sob a orientação do mestre Alexan­dre Cumino.

É o autor de Relatos Umbandistas, obra publicada pela Madras Editora.

Fonte: Editora Madras.

Esta obra você encontra aqui na Terra Mystica, clicando aqui.

COSME E DAMIÃO, CRIANÇAS E A UMBANDA

Por Rodrigo Queiroz

Por volta do século III, nasceram na Arábia dois irmãos gêmeos Cosme e Damião, filhos de família nobre estudaram medicina na Síria e depois foram para Egéia. Não se sabe como e nem em que momento, mas estes tornaram-se discípulos do Cristianismo.

Se utilizando da arte médica, tinham como intenção a conversão religiosa das pessoas, crendo no poder da oração aliado à medicina, conseguiram grandes êxitos pelas curas oferecidas e nunca cobravam por isso. Ganhando assim a simpatia de todos e muitos convertendo.

Chamou atenção dos governantes da época ainda “pagãos” e como provocaram a ira dos mesmos, em especial Diocleciano que os acusou de feitiçaria por não renunciarem a fé cristã, este os sentenciou para receber tormentos bárbaros. Vendo que isto não os abalava então determinou que os decapitassem. Assim Cosme e Damião morreram como mártir em 303 na Egéia.

São Cosme e São Damião são venerados como padroeiros dos médicos e farmacêuticos. Por causa da sua simplicidade e inocência, são invocados também como protetores das crianças.

NA UMBANDA

São Cosme e São Damião foram sincretizados com a linha de trabalho das Crianças, sem precedente uma vez que no histórico dos mesmos ao contrário do que muitos pensam não eram crianças e não se declinavam especificamente á cuidar de crianças, por fim não se sabe precisar em que momento eles foram associados ás crianças, o fato é que todos nós adoramos a tão esperada festa de Cosme e Damião, comemorada no dia 27 de Setembro.

Doces, bolos, balas, brinquedos e guaraná são alguns dos ingredientes presentes nesta festa, na qual os templos de Umbanda invocam a linha das Crianças.

Quem são estes espíritos infantis?

O primeiro impacto quando alguém se depara com um adulto de chupetas no pescoço e brincando de carrinho ou boneca é gargalhada na certa. Depois vem a pergunta: são espíritos crianças?

Por muito tempo acreditou-se que sim, mas dentro do estudo das condições do espírito humano sabemos que esta idéia não procede de fato.

Existe uma vertente de pensamento que prega ser estes espíritos, seres adultos que tomam a forma infantil para desenvolver entre nós encarnados o propósito do trabalho. Porém fica outra dúvida: se a capacidade curativa e renovadora destes espíritos está na pureza de seu magnetismo, seria um espírito cheio de experiências assim tão puro?

A Ciência Divina, revelada na Teologia de Umbanda Sagrada explica que não. Existem várias dimensões da vida e uma delas chamamos de Encantada, onde lá habitam seres infantis, não que sejam seres de pouca idade, porém infantis quando citamos a pureza, inocência, magnetismo puro é disto que estamos falando.

No livro Arquétipos de Umbanda, de Rubens Saraceni, publicado pela Editora Madras, o autor cita na página 99 o seguinte trecho: “ O arquétipo fundamentou-se nos espíritos ainda infantis regidos pelas mães Orixás, encantadas da natureza, que os acolhem em seus vastos reinos na natureza em seu lado espiritual e os amparam até que cresçam e alcancem um novo estágio evolutivo, já como espíritos naturais” . Saiba que este processo é longo e demorado. Logo, estes espíritos infantis são maduros quando o assunto é Deus, pois da existência Dele não duvidam, é como se vivessem próximos do Criador e justamente esta falta de fé que nós encarnados demonstramos os entristecem.

Temos então na linha das Crianças, espíritos que nunca encarnaram, são “encantados” pois vivem numa dimensão paralela a nossa só que com magnetismos puros de sua natureza individual.

Como atuam?

Quando manifestados, este espíritos promovem profundas renovações magnéticas no complexo energético do encarnado, sutilizando nossas energias e nas suas “brincadeiras” nos ajuda a desbloquear sentimentos negativos, desta forma limpa as pessoas e as aliviam.

Por se manterem com intensa vibração pura é que facilitam as curas tão famosas.

Incorporados brincam com brinquedos e comem doces em geral.

Oferenda:

Para o dia 27 de Setembro, vá até um jardim limpo, deposite doces, balas, pirulitos, bolo, refrigerante, flores diversas, em círculo acenda 7 velas azul claro e 7 velas cor de rosa intercaladas.

Ofereça ás Crianças de Aruanda, faça seus pedidos de paz, prosperidade, alegria e cura.

Reze um pai nosso.

Bem leitor, espero ter contribuído para a compreensão do assunto ou ao menos instigar para a busca do mesmo.

Sobretudo vamos festejar a festa das santas crianças e principalmente cuidar das nossas crianças encarnadas, educar e preparar para que nossa nação possa num futuro ser melhor para todos, com mais honestidade e ética. E você adulto, não esqueça da criança que habita dentro de si, não perca a esperança, a alegria gratuita e a graça de viver. Também não deixe de ser sincero e transparente doa a quem doer, seja puro e viva com ética e faça do dia-a-dia e do seu meio algo mais agradável de viver. Pense nisso e seja feliz!

%d bloggers like this: